Qual TV escolher: plasma ou LCD?

A maioria das pessoas não sabe as principais diferenças entre televisores de plasma e LCD. Na hora da compra, muitas vezes, consumidores acabam levando um produto que não é adequado à suas necessidades devido ao atendimento do vendedor. É necessário analisar fatores como consumo de energia, finalidade do aparelho dentro do ambiente, número de pessoas que irão usufruir e qualidade da imagem.

Plasma

Os modelos LCD e plasma têm diferenças sim, portanto comecemos pela qualidade da imagem: quem sai na frente é o plasma, que é uma tecnologia mais recente, com melhor contraste e reprodução de cores mais fiel à realidade. Contudo, o plasma tende a criar “rastros” quando uma imagem permanece por muito tempo na tela. Isto ocorre devido ao efeito “burn-in”, que ocorre quando há um aquecimento interno no sistema da televisão, queimando a imagem estática. Mas atenção, isto ocorre em determinados casos e não é habitual de um aparelho novo. Além do mais, a manutenção dos televisores de plasma é um pouco mais cara.

LCD

Se o assunto for definição de imagem e resolução, as televisões LCD são superiores. Devido ao seu alto brilho na imagem, é possível afirmar que combinam mais com ambientes claros. É interessante avaliar o local onde a TV será instalada, pois dependendo do local, os LCDs dificultam a visão – prova disso são as telas de notebooks quando olhamos na diagonal.

Confira o post sobre ângulos de visão para TVs.

Outro fator decisivo é o consumo de energia, uma vez que as duas tecnologias têm prós e contras. Plasma gasta mais energia porque tem o dispositivo “backlight”, que trata-se de uma fonte de iluminação posicionada atrás da tela que demanda mais força para alimentar as cores. Por exemplo, a diferença entre um LCD de 40 polegadas e um plasma de 42 pode chegar a 26%, segundo testes realizados pelo site especializado Call for Help.

Veja artigos relacionados

Comentários (0)

Deixe o seu comentário!