Mercado de TV por assinatura critica cotas para produção nacional

Em função da nova legislação do setor, canais e operadoras de TV paga estão discutindo meios para não perder a audiência dos telespectadores. As novas medidas, que fazem parte da lei 12.485, determinam que os canais de TV por assinatura terão de exibir conteúdo produzido nacionalmente dentro do horário nobre, que compreende das 19 horas até as 23 horas.

A maioria das operadoras de TV paga e canais estrangeiros se mostraram contra a nova lei que entra em vigor em setembro deste ano. Representantes do setor temem perder a identidade da programação devido à nova legislação. Neste ano, em fevereiro, A SKY lançou uma campanha publicitária contra o projeto das cotas nacionais.

“As empresas se estruturaram para atender à regra, mas a reação do assinante ainda é um ponto de interrogação”, diz Alexandre Annerberg, presidente da ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura)

Quem não seguir as regras está sujeito à penas que variam entre advertências, multas diárias entre R$500 a R$1 milhão e cancelamento de operações.

“A lei é um desafio, pois estipula cotas levando em conta a quantidade e não a qualidade”, diz Fernando Medin, vice-presidente sênior e diretor-geral da Discovery Networks no Brasil.

Fonte: Brasil Econômico Online 

Veja artigos relacionados

Comentários (0)

Deixe o seu comentário!