Como funciona a televisão?

Como funciona a televisão?

  • Atualizado em 15/03/2019
  • Por Redação WebTelevisão

A televisão já está tão inserida na vida da gente que quase nunca alguém se pergunta como ela funciona. Já se perguntou como uma imagem saí de um lugar e chega no outro? Já imaginou como ela aparece na tela para você? Tem mais de um jeito de montar uma imagem na TV ou é só um e deu?

Se você já teve essas dúvidas, aqui nós vamos te ajudar a começar entender a televisão e como suas diferentes tecnologias funcionam.

Transmissão e sinal: como as imagens chegam na televisão?

A TV funciona através de um sinal de onda. Ou seja, alguém, em algum lugar, pega uma imagem e um som e o codifica em forma de onda. Essa onda é amplificada para percorrer uma área bem extensa, sendo que ela ainda pode ser transportada por cabos ou rebatida por antenas e satélites. O que interessa para a gente aqui, é que essa onda é, eventualmente, captada por uma antena ou um receptor de televisão. Ele pega esse sinal e o joga através de cabos para dentro do decodificador da sua TV.

É como interpretar um código

O decodificador lê o sinal, basicamente um monte de números, é transforma isso em ordens para que a TV produza pontinhos com intensidades diferentes de luz na tela. Vamos simplificar? Você recebe uma mensagem onde cada letra significa que você tem que fazer um tracinho diferente numa folha em branco. Quando você termina de fazer todos os tracinhos, você tem uma imagem na folha, não tem? Essa é a mesma ideia por trás da transmissão de TV.

Quadros por segundo

Agora imagine que a sua TV faz esse processo pelo menos 24 vezes por segundo, que é o número mais comum de quadros por segundo que formam a imagem em movimento.

Os tipos de TV

Mesmo que a ideia tenha permanecido a mesma desde o surgimento do primeiro televisor, a tecnologia usada para criar as imagens já mudou bastante. A que ficou popular por um bom tempo foi a de Tubo Catódico. Mas hoje existem as TVs de LCD, de Plasma, de Led e OLed. Vamos entender um pouco mais sobre como funciona cada uma delas?

 

TV de Tubo catódico

tv-de-tubo

Explicação técnica

As conhecidas e já ultrapassadas TVs de tubo, são chamadas assim por causa do tubo catódico, uma espécie de funil cuja abertura maior é onde fica a tela do aparelho. No fundo desse tubo existem três canhões de elétrons posicionados apontando para a tela. Cada um dos canhões é equipado com filetes aquecidos por eletricidade que liberam elétrons para todos os lados. Como só existe uma saída microscópica em cada canhão, os elétrons são direcionados em linha reta para dentro do tubo e em direção à tela.

 

 

Existem ainda dois eletroímãs que alteram a trajetória desse três filetes de elétrons. Cada um deles é responsável por uma cor: vermelho, verde e azul. Como a tela é revestida de diferentes tipos de fósforo na parte de dentro, quando os filetes atingem a substância, cada tipo se ilumina como uma dessas três cores. Juntas, elas formam um pixel e podem provocar a ilusão de praticamente qualquer outra cor conhecida pelo olho humano. A intensidade do filete define qual das cores vai aparecer mais, produzindo as misturas.

Explicando de uma maneira mais simples

Ou seja, em uma linguagem mais fácil, a TV de tubo funciona com uma base eletromagnética. Os três filetes de elétrons percorrem a tela pela parte de trás em uma velocidade grande velocidade, formando a imagem, pixel por pixel, de cima para baixo e da esquerda para direita. Como uma máquina de escrever, colocando cada letrinha no seu lugar. A diferença é que ela faz isso com as cores, e realiza a tarefa tão rápido que o olho não consegue captar a formação da imagem, apenas o resultado dela pronta e inteira na tela.

 

TV de LCD

tv-de-lcd

Explicação técnica

A TV de LCD já é um pouco mais complicada. Existe uma lâmina de LCD que fica no meio de tudo. LCD é nada mais do que cristal líquido, ou seja, uma substância que altera sua rigidez conforme a corrente elétrica que passa por ela. Os átomos do cristal líquido podem ficar mais soltos ou enrijecidos de acordo com a tensão elétrica, permitindo a passagem de luz de forma completa, nula ou parcial.

Essa placa de LCD fica no meio de outras duas lâminas de vidro, uma com sulcos microscópicos verticais, e outra com sulcos microscópicos horizontais. Sobrepostas, elas foram uma gradeado, e os pontos de cruzamento serão responsáveis por afunilar a luz para os pixels. Ok, mas e de onde vem a luz? Na parte mais de trás da TV, ficam lâmpadas fluorescente de cátodo frio, aquelas bem brancas. Elas emitem luz direcional que passa pelo primeiro vidro polarizador, cruza o LCD, que define a sua intensidade, e depois atravessa o segundo vidro polarizador, se transformando num feixe reto que atinge uma última camada, que é bem mais simples.

Essa última camada, a mais externa, é a tela, que no caso dos monitores LCD, é como se fosse um vitral formado por milhões de conjuntos de três vidrinhos coloridos respectivamente de vermelho, verde e azul. Cada um desses conjuntos é um pixel. A corrente elétrica que passa pelo LCD, define a intensidade com que a luz irá atingir cada cor, e a partir disso, se formam as ilusões das demais cores na tela quando a vemos de longe.

Explicando de uma maneira mais simples

As TVs LCD emitem uma luz total e constante da parte de trás. Essa luz passa por várias camadas, cuja função basicamente é dividir a onda de luz em milhões de pedacinhos, cada um com uma intensidade diferente. Essa intensidade define a intensidade da cor que vai ser mostrada em cada pixel. Pronto, temos uma imagem formada.

O problema? Por trabalhar com uma placa de luz única e total, a TV de LCD não consegue reproduzir o preto verdadeiro. O preto que a TV mostra é opaco e de baixo contraste. Além disso, o processo de formação de imagem é mais complexo, e por isso, é mais demorado também. Por isso as TVs LCD não possuem muita definição de movimento, que se muito rápidos, surgem borrados ou até parecem fora de foco. Não é a tecnologia mais recomendada para computadores e jogos de alta definição. Até porque jogos costumam trabalhar com mais quadros por segundo do que os programas que normalmente vão ao ar na TV.

TV de Plasma

tv-de-plasma

Explicação técnica: o que é plasma?

Para entender essa aqui, precisamos antes entender o que é Plasma. Pois bem, resumidamente, os três estados mais comuns da matéria são aqueles que aprendemos na escola: líquido, sólido e gasoso. Porém, quando os átomos de um gás continuam sendo aquecidos, os elétrons se desprendem do resto da estrutura e se movem livremente, e isso é o plasma. No plasma, por  causa do íons carregados positivamente, e dos elétrons carregados negativamente, você tem uma substância que conduz eletricidade com extrema facilidade.

Nas TVS de Plasma, existem duas camadas de vidro. Uma com faixas de eletrodos na vertical, e outra com faixas eletrodos na horizontal. O cruzamento entre essas linhas acontece em volta de uma placa que fica no meio, com milhões de cubinhos minúsculos preenchidos com gás xenon e neon. Três cubinhos desses formam um conjunto, ou seja, um pixel, pois cada um deles é revestido por dentro com um tipo de fósforo que reage à eletricidade com uma luminosidade de cor diferente: vermelha, verde ou azul.

Daí o princípio é o mesmo das demais, cada cruzamento das faixas de eletrodos emite uma intensidade de eletricidade em um dos cubinhos, aquecendo o gás lá dentro e transformando-o em plasma, que por sua vez conduz a eletricidade ao fósforo provocando a luminosidade. Novamente, a eletricidade envolvida nesse processo define a intensidade de cada um dos milhões de pontinhos, definindo que cores vamos ver.

Explicando de uma maneira mais simples

Gás aquecido demais forma uma substância densa que conduz eletricidade facilmente. Existe gás xenon e neon dentro dos pixels da TV de Plasma. Aquecidos, eles se iluminam mais ou menos, formando as cores e as imagens.

Por causa desse processo, a TV de Plasma tem mais luminosidade e mais contraste que outros modelos. Além disso, seus pixels ligam e desligam com muita rapidez, em comparação às tecnologias anteriores, o que dá a ela muita definição de movimento. A desvantagem? Ela consome bem mais energia que as demais televisões, e são bastante frágeis. Os pixels ligados a partir do aquecimento do gás dentro deles, podem facilmente queimar, especialmente se precisam ficar aquecidos, ou seja, ligados por muito tempo. Por isso não é nada recomendado que se deixe imagens paradas nessas TVs.

TV de Led e OLed

tv-led-oled

Explicação técnica

As TVs Leds funcionam da mesma forma que os monitores de LCD. A diferença é que, ao invés de lâmpadas que cobrem toda a extensão do fundo da tela, nós temos nesses aparelhos um monte de minúsculas lâmpadas Led que fazem o mesmo trabalho de projetar a luz através dos polarizadores e do cristal líquido até o vitral de cores e pixels na frente. Como nas TVS Led a luz vem de pontos individuais, é mais fácil fazer o preto real aparecer na tela, gerando também maior contraste na imagem, diferente das imagens mais lavadas e daquele preto opaco das TVs LCD.

Claro que, a lâmpada de Led é muito grande para que cada um seja responsável por um único pixel. O que ocorre é que cada Led é responsável por uma pequena área da tela, e dependendo essa área é “desativada” ou não para gerar um preto total.

Existem três tipos mais comuns de monitores de LED: os Edge LED, com seus pontinhos de led brancos espalhados no fundo da tela, são bem iluminados mas podem apresentar pouca definição de imagem; os Direct LED, com Leds que trabalham por áreas de Tela, concedendo maior contraste à imagem; e aí temos as RGB Led, que são aquelas com Leds nas cores verde, vermelho e azul. Esse último tipo é o que apresenta maior definição de imagem.

E as TVS OLed?

A tecnologia OLed funciona um pouco diferente e por isso é o que temos hoje de maior avanço no setor televisivo. Os OLeds são parecidos com o Led, só que ao invés de pequenas lâmpadas, você tem uma lâmina muito fina de carbono que reage à eletricidade e se ilumina. Isso possibilita que se façam quadradinhos microscópicos de luz. Portanto, nas TVs OLed, cada pixel possui sua iluminação individual. Enquanto nas TVs de Led comuns você tinha a iluminação por áreas, aqui, cada pontinho é ativado e desativado individualmente. O resultado é a melhor definição de imagem que o mercado oferece atualmente, e a única que consegue reproduzir na totalidade o preto real. Pois quando vemos preto na tela, é porque o pixel está realmente desligado.  

Explicando de uma maneira mais simples

Parecida com as TVs LCD, as TVs de Led também funcionam com cristal líquido e dividem sua luz em muitos pedacinhos. Só que dessa vez essa divisão já é feita no painel de Leds. Como as lâmpadas Led são relativamente simples, essas TVs não consomem tanta energia.

Agora que você conhece como funciona a televisão e quais os tipos de TV, compartilhe essa postagem com os interessados em suas redes sociais.

WebTelevisão

4 Comentários

Laura Publicado em11:49 pm - May 2, 2018

Site muito bom e qualidade de explicação ótima

juliana/isabella Publicado em6:16 pm - Feb 11, 2019

ola,eu me chamo Isabella tenho 10 anos e queria que voces desem mais informacões pra mim e outras pessoas podesem fazer uma pesquisa mais completa e realizar trabalhos mais seguros sem preocupacão de poucas informacoes ok

    tverdenovo Publicado em2:18 pm - Mar 26, 2019

    Olá, Juliana e Isabella.

    Seu desejo foi realizado. Atualizamos o artigo acima com mais informações detalhadas de como funciona a TV, agora ficou show!

    Esperamos que gostem e que ajude vcs. Fiquem à vontade para compartilhar esse conteúdo e contem com a gente.

Giovana Publicado em8:37 pm - Mar 22, 2019

Wow! Não fazia a mínima noção da complexidade de como funciona a TV. Valeu!